Energia da Criação!

Recentemente tenho me envolvido cada vez mais com a energia que nós temos de criação! A energia que se localiza na região sacral, na região do nosso sistema reprodutor feminino (o homem também tem a energia da criação no seu sistema reprodutor masculino!), no chakra feminino / sacral! E cada vez mais estou valorizando nosso útero, vivenciando cada vez mais de forma consciente a menstruação e as fases do ciclo menstrual!

E, sincronicidade do universo ou não.. estamos iniciando a primavera e ao ver a imagem abaixo, vi a primavera se relacionando com nossa capacidade de criação:

12096139_894272843994349_3214144900936954471_n

Já ouvi muitas mulheres falando que nosso útero só existe para sangrar e sentir dor! Cada uma tem o direito de dizer o que acredita e respeito, mas por isso mesmo, também me dou direito de dizer o que acredito! Não, para mim, útero é riquissimo, não existe só pra sangrar. Na verdade sangrar é sinal de que todo mês a mulher tem o poder de criar um ambiente riquissimo e altamente nutritivo para gerar um novo ser dentro de você. Por isso tem mulheres que ao menstruar colhe seu sangue em copo coletor e rega as plantas, afinal, se é capaz de nutrir um ser vivo, é capaz de nutrir qualquer ser vivo do reino vegetal também!

Que a primavera nos envolva, que tenhamos a energia da donzela aflorando dentro de nós, e assim como as sementes germinam e começam a crescer em direção a terra, que nós também cresçamos e nos desenvolvamos rumo aos nossos objetivos e nossas criações!

Gratidão!

May

Primavera chegando!

Créditos a Amanda Roosevelt

No jardim de asfalto em que moramos (São Paulo) muitos mal percebem as mudanças do meio ambiente, as trocas de folhas, se a lua está crescendo ou minguando e, o principal: as mudanças nas nossas próprias vidas (percebem? Ou melhor, sentem?)!

Dizem que a vida é uma escola, eu concordo! Assim como na escola todos os anos temos as séries que iniciamos, estudamos muito, depois começa a cansar e finalmente chega ao fim para repormos as energias para o ano seguinte começarmos nova primavera, a nossa vida é repleta de ciclos! Jaya!!triplicedeusa

Na Antroposofia (antropo = homem; sofo = sábio, ia = qualidade, profissão, filosofia de Rudolf Steiner, “ciência espiritual“) há um respeito grande pelos elementos da natureza e correlacionam dizendo que a terra não é um mero corpo físico, pois nele está contido os fluxos da vida, sendo que no inverno, ela (terra) está reunindo forças para que, na primavera, o fluxo da vida venha para a superfície! E nós, seres humanos, somos semelhantes! Durante o inverno ficamos mais introspectivos e voltados mais para o pensar. E na primavera, voltamos a executar o que pensamos ou sentimos, e somos mais extrovertidos!

Assim como na natureza o sol traz a vitalidade para que as sementes vinguem, as flores cresçam e os frutos comecem o processo de maturação.. nós também! O sol nos recebe oferecendo vitalidade para irmos atrás dos nossos objetivos e iniciarmos novo ciclo! Não importa o quão pequeno seu foco seja no momento.. mas tudo que se inicia tende a amadurecer e em um futuro próximo ou distante, os frutos virão!

E pela sincronicidade da vida.. dia 23/setembro (quarta) será a chegada da primavera e estamos na fase crescente da nossa belíssima Lua! Lua também, todo mês inicia e encerra um ciclo: fase crescente (primavera), cheia (verão), minguante (outono) e nova (inverno). E lembra de alguém que se assemelha a isto? Isso, nós, mulheres! Os ciclos menstruais também estão intimamente ligados aos ciclos lunares!

Bom.. pela sincronicidade, várias primaveras estão presentes esta semana! Primavera, propriamente dita (23/set), a lua crescente e, nós não podemos estar de fora! Se houve momento de muita elaboração e de ideias até agora, está na hora de colocar seus novos projetos de vida em prática para que cresçam e se desenvolvam, buscando sempre a luz (ou Luz), sendo cuidado com carinho e regá-lo com muito amor para que na fase seguinte seu projeto esteja crescendo com todo potencial!

E este é meu voto para o inicio da nova primavera pessoal! Que, após o longo inverno, a chegada da Luz traga muito amadurecimento, crescimento pessoal e, não importa quanta chuva caia, utilize-a a seu favor, a favor do seu projeto pessoal, e assim lindas flores e frutos virão!10432463_876186549114468_521704975717725755_n

Gratidão,

May

Meu Sagrado Feminino

Há algum tempo eu venho me aproximando de mim mesma por diversas formas, através da espiritualidade, terapias, yoga, meditação, prática de atividades físicas, contato com a Natureza e principalmente me entendendo, ou melhor, me aceitando como mulher.

Agora, aceito como um chamado a minha vontade repentina de me envolver cada vez mais com o meu Sagrado Feminino, e é bem intencionada que eu planto uma sementinha dentro de todas as mulheres que me dão abertura para falar um pouco sobre isso e despertar o seu Sagrado também.

A palavra Sagrado pode parecer pesada, mas acredite… Não existe termo melhor.

1097944_626159387418623_37784133_n

Todo ser humano carrega dentro de si duas forças fundamentais opostas e complementares que se encontram em todas as coisas, o yin (princípio feminino) e o yang (princípio masculino). Com a era patriarcal a energia masculina anulou a feminina, criando uma sociedade doente que fica o tempo todo disputando por poder e espaço. Como conseqüência (e aos olhos dos mais sensíveis) perdeu-se a energia do amor, da compaixão e do respeito mútuo. Por isso é importante que essas polaridades estejam em equilíbrio, só assim o ser humano pode viver em paz.

O Sagrado Feminino defende a idéia de que a Divindade está também na vida manisfesta, entre nós o tempo todo. Presente na matéria, na natureza, nos animais, nos ciclos das estações, nos seres humanos e na sexualidade, ajudando a nos trazer de volta a percepção de que toda a forma de vida faz parte de um todo.

A sociedade em que vivemos, faz com que a mulher se desconecte da sua essência e negue a sua relação “divina”, e junto, a Mãe Terra vem sendo desprezada e o feminino torna-se cada vez menos Sagrado. Despertar o Feminino é deixar a mulher sábia, consciente de si mesma, mergulhar em um mundo de amor próprio e respeitar o seu mundo interior.

As mulheres que se envolvem com o Sagrado Feminino aprendem a se desvincular de padrões de beleza e regras pré-estabelecidas pela sociedade. Elas passam a se aceitar e se amar exatamente como são em essência, enxergam-se como Deusas e valorizam o seus poderes naturais de gerar, nutrir e principalmente amar incondicionalmente. São mais sinceras com suas próprias vontades, felizes, amáveis e únicas.

As rodas de Sagrado Feminino propõem a oportunidade de mulheres que buscam o mesmo caminho se encontrarem e trocarem experiências. Cria-se um espaço sagrado para reuniões, união de idéias e ideais em prol de um bem comum. É com muito prazer que abrimos a nossa Casa quinzenalmente para receber mulheres que buscam se aproximar da sua essência independente da idade, religião ou fase da vida.

Gratidão,

Flávia.

178926_199092996904945_1566879607_n

Chá de Ocitocina

cha ocitocina

Há 2 semanas fizemos um evento chamado “Chá de Ocitocina” que foi uma vivência que desenvolvemos com intuito de aflorar novas consciências nos convidados presentes. E logo que chegavam surgiam a seguinte pergunta: “O que é Ocitocina??”
Ocitocina.. ou..
Hormônio do Amor
É o hormônio que é mais conhecido por atuar no Parto, pois ajuda a contrair o útero durante o parto e a expulsar o bebezinho e a placenta, assim como na Amamentação, pois ajuda na descida do leite materno.
Porém, ela é mais que isso!
Ela é chamada de “Hormônio da ligação, da confiança e do amor“.
Para a sobrevivência dos mamíferos é fundamental que a mãe comece a nutrir os seus filhos imediatamente após o nascimento e os estudos revelaram que a ocitocina parece ser responsável por essa reação. É claro que para muitos bebês humanos o estabelecimento de uma ligação tão imediatamente após o nascimento não é uma questão de sobrevivência, mas os efeitos da ocitocina no cérebro ainda desempenha um papel importante no estabelecimento comportamento materno e o vínculo entre mãe e bebê. Você só tem que olhar para a mãe com seu bebê para ver o quão poderoso os efeitos da ocitocina podem ser, uma vez que ajuda a gerar o vínculo mais profundo e surpreendente.
E fora a maternidade.. homens e mulheres que não vivenciam parto, paternidade/maternidade também produzem ocitocina?
Sim!!!! rsrs

Na verdade, homens durante a paternidade também liberam ocitocina, pois eles também experimentam uma onda de sentimentos para com seu novo bebê!

E ela é mais que isso! A ocitocina é responsável não só pela formação do vinculo profundo com o bebê, mas com nossos parceiros, amigos e até mesmo os nossos animais de estimação!!

Além de ser a razão de criarmos vínculos, fisiologicamente, a Ocitocina também promove a vontade de ser abraçada, desejada, beijada, e diria que é o hormônio da receptividade sexual e, por isso, é chamado também de Hormônio do Amor, tanto no homem como na mulher!

Interessante e poderosíssimo esse hormônio, não? Por isso chamamos nosso evento de “Chá de Ocitocina” para que todos, após a vivência, despertassem para a ação poderosa desse hormônio!

Mais amor a todos nós!!

Gratidão!

Familiarizada com o Epi-no

IMG_6416

Boa Noite!!!

Já falamos sobre o Epi-No em outro momento, mas como muitas mulheres ainda nos procuram perguntando sobre a real necessidade de usá-lo, resolvemos expor a mesma opinião que damos à elas, aqui para vocês.

O Epi-No tem sido cada vez mais procurado no Brasil, e a demanda para o aluguel é grande. Mas sem dúvida a muitos olhos, esse aparelhinho ainda é muito estranho. Muitas mulheres relatam sobre o desconforto que é usá-lo pelas primeiras vezes… SIM!!! O Epi-no está longe de se algo confortável. Ele dá uma sensação da qual é difícil identificar, mistura de vontade de ir ao banheiro, cólica, dor de alongamento… entre outras coisas mais.

Outra coisa importante de ressaltar é que fazer o uso correto e disciplinado do dispositivo, não significa que a mulher está livre de ter uma laceração. O Epi-no previne sim, mas pode ser que mesmo fazendo tudo certo, a musculatura do assoalho pélvico não consiga ser alongada o suficiente, ou as vezes no momento de realizar o “puxo” na expulsão do bebê, o músculo pode ser sobrecarregado. Depois de falarmos isso, sempre vem a dúvida sobre se deve ser usado ou não. E esse é o momento que mais gostamos de explicar.

O Epi-No traz à mulher a consciência do períneo. Antes de partir para o alongamento, são feitos treinos de contrações do assoalho pélvico para aumentar a vascularização da região, para que no momento do alongamento o tecido esteja nutrido e consiga chegar a sua flexibilidade máxima. Logo após o treino diário, pede-se para que a gestante tente expulsar o balão só com a força do períneo, o que vai contar muito para o momento da expulsão do bebê.

Mais do que o alongamento, o Epi-No proporciona aumento da circulação sanguínea, nutrição dos tecidos, consciência tanto do contrair, e principalmente do relaxar e a simulação do parto normal. Assim concluímos que vale a pena realizar o treino com o Epi-no, pois além dos resultados ótimos quanto à não-episiotomia, aumenta-se a probabilidade de partos mais conscientes.

Gratidão.

Kwan Yin

kwan 02

A querida Kwan Yin é a personificação do aspecto Yin (feminino) da Criação; a Mãe Divina que ama incondicionalmente seus filhos, apesar de toda e qualquer falha, sem julgamentos e discriminações.

Na mitologia chinesa é chamada Kwan Yin, mas pode ser conhecida por Kannon-san no Japão, ou Quan´Am, no Vietnã, e é conhecida em outras diversas culturas também, e em todos os lugares ela é a representação máxima da pureza espiritual.

kwan 01

Ela nos ampara e nos protege, estimulando toda a Humanidade a equilibrar os elementos feminino e masculino dentro de cada Ser!

A querida mãe Kwan Yin está ligada milenarmente à misericórdia e ao perdão, além de estar associada às características femininas da maternidade e proteção (por isso, particularmente, a amamos!).

Luz e Amor incondicional à todas!

Deusa Tríplice

Nas religiões pagãs, em especial na Wicca, o símbolo mais importante utilizado na representação da Deusa, é a própria Lua.

A Deusa Tríplice está associada às três fases visíveis da Lua.

sanacic3b3n

Lua Nova/Crescente – A Deusa Donzela , representando a pureza e a busca pelo conhecimento. Como virgem, ela é o amanhecer, o nascimento, a primavera, o começo de uma nova estaçãode crescimento, o encerar da Lua. Ela é o encantamento, sedução e florescimento.

Lua Cheia – É a Mãe, representando poder e carinho maternal. Associada a Gaia, a Mãe-Terra, Deusa de toda a vida. Somente através dela, tudo nasce, as sementes germinam e produzem as colheitas da estação.

Lua Minguante – É a Anciã, representando sabedoria, conhecimento, renovação. É o inverno, a fase final da menstruação, a morte e a reencarnação.

As forças da criação, manutenção e destruição fazem parte do ciclo da vida e da Natureza. A grande Deusa é então a criadora, a nutridora e a destruidora, é a Deusa Tríplice, pois ela conduz o ciclo contínuo da vida, morte e o renascimento.

blogger-image--201438395

Parvati

Deusa hindu, cônjuge de Shiva (Deus da destruição e renovação), Mãe de Ganesha e Skanda, representa a unidade entre homem e mulher.

Considerada como a derradeira Divina Shakti, Parvati é a encarnação da energia total do Universo.

3947297_orig

Algumas das características que definem Parvati são sua afeição e obediência aos mais velhos, lealdade às tradições, determinada devoção à Shiva, carinho para aqueles que estão com problemas, esforço perseverante até a conclusão das boas ações.

Reconhecida como Mãe Divina (Maha Devi), a que acolhe a todos os filhos com um amor maternal infinito, que os protege e os guia, sempre mostrando aos mesmos os caminhos corretos e orientando-os sobre os passos que devem dar.

É a Deusa da beleza, a virtuosa que gera procriação no mundo e nas espécies.

Jai Parvati!

Deusas Mãe

Entraremos na semana das mães e muitas homenagens aparecerão, nós também queremos registrar a nossa.

Com a exclusão do princípio feminino da Trindade, o Cristianismo se tornou uma das poucas religiões que negligenciaram o aspecto feminino da Divindade. O culto à Mãe Maria foi introduzido apressadamente no início da idade média, porque a falta deste principio estava levando muitos dos fiéis a retornarem aos cultos “pagões” de deidades femininas.

Apresentaremos à vocês as Deusas que nos regem, reconhecidas pela sua natureza maternal, aquela que acolhe o mundo.

Desejamos uma semana iluminada e absolutamente materna.

Luz!

kwan_yin_guanyin_kwannon_closeup_by_phaedris-d5exl8k