Almofada da mãe moderna

Vocês já conhecem a almofada que está começando a ser usada bastante pelas gestantes atualmente?

Como uma das principais queixas que as gestantes apresentam é a dificuldade para dormir (devido à dor nas costas, peso na barriga, edema nas pernas e ao aumento da frequência urinária durante a noite), nós fisioterapeutas recomendamos o uso de inúmeras almofadas. Caso deite de barriga para cima seriam duas: 01 embaixo da cabeça e 01 embaixo das pernas. Caso deite de lado seriam 04 travesseiros: 01 na cabeça, 01 para o apoio do braço, 01 embaixo da barriga e 01 no meio das pernas. Só assim a coluna e a barriga se acomodam perfeitamente, entretanto.. haja almofadas!

Como são MUITOS travesseiros, nossa parceira, Sweet Mama desenvolveu um que tenha a função de todos esses!

(Clique na foto e verás melhor como o minhocão pode ser utilizado!)

sweet mama folder

Também leia: Minhocão, como te quero!!

= fsMulher =

Você e seu bebê merecem RESPEITO! – Parte I

Você sabe do que se trata o PARTO HUMANIZADO que tanto se fala hoje em dia? Muitos logo associam com parto em casa, parto sem anestesia, parto na água, parto sem médico e parto com doulas. Muitos acham um absurdo, mas.. na verdade…partohumanizado

PARTO HUMANIZADO é o parto em que a mulher e o bebê são tratados com respeito e as intervenções médicas só ocorrem se necessárias ou desejadas pela gestante!!

E.. respeito é direto de TODAS as mulheres, certo? Então vamos rever alguns DIREITOS que vocês, mamães, têm na hora de ter seus bebês:

DIREITO Justificativa
Ser ouvida, tirar dúvidas e poder se expressar, sem vergonha de chorar ou gritar. Ninguém pode ignorar, maltratar ou mandar você de calar!
– Ficar livre para se movimentar. Ajuda a aliviar a dor.
– Receber alimentos leves e líquidos se sentir fome ou sede.
– Não permitir que rompam a sua bolsa antes de ela arrebentar sozinha. Isso pode aumentar as dores e contrações, fazer o bebê entrar em sofrimento e causar uma complicação gravíssima, chamada prolapso do cordão umbilical.
– Só receber o soro para apressar o parto (indução de ocitocina) se for necessário. O soro aumenta muito as dores e pode fazer o bebê entrar em sofrimento
– Só receber a anestesia se quiser e depois de ser informada sobre os riscos
Recusar o corte da vagina (episiotomia). Às vezes o médico faz um corte quando precisa usar o fórceps, ou quando o bebê tem que nascer rápido. Mas, se tudo estiver bem, esse corte não é necessário.

Sete entre 10 mulheres não laceram (não rasgam).

E as que laceram normalmente tem ferimentos menores do que os de um corte.

– Parir na posição que achar mais confortável. Parir deitada com as pernas para cima dificulta a oxigenação (respiração) do bebê dentro da barriga, faz o parto demorar mais e leva você a fazer mais força, aumentando as suas chances de lacerar.
– Só fazer cesariana caso ela seja necessária. A cesariana feita sem motivo aumenta em três vezes a chance de você ou o bebê morrerem
APENAS 15 EM CADA 100 GESTANTES realmente precisam de cesariana. Antes de escolher um médico, veja se o percentual de cesariana dele está muito acima disso!!!!

parto normalOu seja, Parto Humanizado é um parto em que você, mãe, é respeitada e bem acolhida!

Isso não deve ser um privilégio, e sim um direito de todas!

Exija um Parto mais Humano e seja feliz!

 

fsMulher

 

Trabalho de Parto – 1º Estágio

A maneira mais fácil de entender o trabalho de parto humano é dividí-lo em estágios e fases. Ele pode ser dividido em 4 estágios:520942-101128-46 

Estágio I – Dilatação: Período de afinamento e dilatação do colo uterino conforme o bebê desce

Estágio II – Período expulsivo: Parto do bebê

Estágio III – Dequitação: Parto da placenta

Estágio IV – Pós-parto

Nesse post daremos ênfase ao Estágio I o qual é comumente conhecido como trabalho de parto e está dividido em 3 fases:

– Trabalho inicial ou fase latente

– Trabalho ativo ou fase ativa

– Trabalho tardio ou transição

A fase inicial ou latente é geralmente a mais longa porque as contrações são mais leves e ficam no pico por um tempo mais curto do que as contrações tardias. É difícil prever com exatidão a duração dessa fase, mas em média dura torno de 10 horas. Durante esse tempo, a mãe está ansiosa e em dúvida se este é realmente o trabalho de parto. As principais características dessa fase é que o colo amolece, afina, começa a dilatar; começam as contrações leves com intervalos de 20 a 5 minutos, pode-se ter corrimento, haver dor nas costas e náusea, além de 3 a 4 cm de dilatação.

Nesse período a mãe deve tentar relaxar; continuar suas atividades em casa; respirar profundamente quando não puder mais caminhar.

diagram-closeup-head-effacement-dilationA fase ativa trata-se tipicamente de um período agitado para a mãe, as contrações se tornam mais duradoras, mais fortes e com intervalos menores entre si. É nesse momento que os médicos geralmente sugerem que a mulher seja internada. Mulheres que freqüentam aulas de preparação para parto aprendem como relaxar, respirar e lidar com a dor associada com as contrações durante o processo de internação. Esse momento pode ser estressante para algumas mulheres e casais. As principais características dessa fase é que o colo se abre; o bebê desce; contrações aumentam; têm duração de 2 a 9 horas; sensação de pressão na parte inferior das costas, virilha e períneo, além de 4 a 7 cm de dilatação, contrações com 60 segundos de duração e intervalos de 5 a 1 minuto.

A mãe pode se sentir sobrecarregada ou desanimada, nesse momento ela deve concentrar-se na respiração, mudar de posição e principalmente conservar energia.

O trabalho tardio ou de transição é caracterizado pelas contrações freqüentes, longas e intensas, acompanhada com sintomas de náusea, vômito, tremores nas pernas e sentimentos de desanimo. É a fase mais difícil e também a mais curta, o colo está aberto e o bebê entra no canal de parto. As contrações tem duração de 60 a 90 segundos com 7 a 10 cm de dilatação. Nesse momento, a mulher sente uma compulsão para fazer força e expulsar o bebê. A fase de transição pode durar uma hora ou mais, o ideal é que a mãe consiga relaxa o corpo e o períneo; lembrar sempre que o bebê está chegando e repousar entre as contrações mantendo uma respiração calma e fluida.

trabalhoparto (2)

As mulheres que buscam um parto normal e desejam um trabalho de parto menos afobado devem procurar hospitais que as deixem caminhar e se mover durante todo o processo, que permitam assumir posições para o trabalho de parto diferentes das utilizadas numa litotomia (posição ginecológica) padrão e receber intervenção mínima da equipe de enfermagem, fisioterapeutas ou doulas se essa for a sua vontade.

Em breve, os próximos estágios do trabalho de parto.

birth_ArticleImage

Fonte: Fisioterapia Aplicada à Ginecologia e Obstetrícia 

           The Pregnant Body Book

“Minhocão”, como te quero!!!

Uma das principais queixas que nossas gestantes apresentam é a dificuldade para dormir. Esse quadro normalmente aparece devido à dor nas costas, peso na barriga, edema nas pernas e ao aumento da frequência urinária durante a noite.

Hoje apresentaremos uma solução para (quase) todos esses problemas. Trata-se do “minhocão”, assim chamado pelas nossas pacientes. É uma almofada que já caiu na boca das gravidinhas e vem ganhando cada vez mais espaço nas prioridades pré-natais e também na cama dessas mulheres.

Imagem

A almofada para gestante e bebê da BelaBarriga foi exclusivamente desenhado para seguir o contorno natural e a forma do seu corpo da cabeça aos pés. Perfeito para dormir e relaxar.
Ela proporciona apoio onde as mães mais necessitam que são as costas, pernas e barriga.
Se adapta as formas do corpo e acomoda o quadril na postura adequada. Oferece conforto em diversas posições podendo ser utilizado durante e após a gravidez.
No pós-parto é muito eficiente para apoiar o bebê durante a amamentação, e pode ser utilizada no auxílio do suporte quando ele começar a sentar.
As crianças maiores também podem utilizá-la, pois ela faz um ninho confortável para relaxar, ler e assistir televisão.
Acompanha capa protetora removível,que pode ser facilmente retirada para ser lavada. Recomenda-se a lavagem manual.

BellaBarriga1

711460_10200479630858714_1296995723_n

 

 

 

 

 

 

 

Como uma mamãe nos relatou: “O conforto e o bem-estar não tem preço, principalmente nessa fase das nossas vidas. Utilizei durante toda a minha gestação e estou usando muito no pós-parto para amamentar. A minha única preocupação é que meu marido gostou tanto que agora temos que dividí-la, rs”.

Para maiores informações sobre a BelaBarriga entre em contato com a Samanta Cordeiro através do telefone: 11 98905 9350 ou e-mail: bellabarriga@hotmail.com

Tenham uma ótima semana…

fsMulher

EPI-NO… o novo queridinho!

Hoje daremos uma luz para as mulheres que desejam realizar o parto normal. Uma dica preciosa para a facilitação, conforto e segurança para o momento da chegada do bebê! Falaremos sobre o EPI-NO, aparelhinho que pouca gente conhece, mas quem conhece AMA e RECOMENDA.

O EPI-NO é um aparelho alemão usado para exercitar a musculatura do períneo durante a gestação. Contando com a ajuda dele, é possível quantificar a flexibilidade da musculatura da região, evitando assim a ocorrência da episiotomia e outras lesões que podem ocorrer durante o nascimento do bebê. Quando a musculatura do assoalho pélvico permanece intacta, os músculos e tecidos podem se recuperar mais facilmente após o parto.

A mulher deve inserí-lo na sua rotina cerca de 3 semanas antes da data prevista para parto, podendo desta forma iniciar os exercícios para aumentar a elasticidade dos músculos do assoalho pélvico.

O EPI-NO não deve ser abandonado no pós-parto. Depois que o seu bebê nascer, ele será o parceiro ideal para ajudá-la a recuperar a força e tônus do seu assoalho pélvico que foi sobrecarregado pelo peso do bebê durante toda a gestação e possivelmente estará fragilizado após o parto. Além de fazer o músculo trabalhar, a mulher consegue acompanhar o seu desempenho através do biofeedback, o que motiva o desempenho de recuperação e busca maior satisfação sexual.

Esse aparelhinho milagroso é muito comum na Europa (vendido em farmácias sem nem mesmo precisar de receita médica) e lá é vendido a um preço acessível para todas as gestantes. Maaaas…  infelizmente aqui no Brasil ele é raro, e quando encontrado tem preços surreais, o que desencoraja as mulheres a adquirí-lo para ser usado durante poucas semanas.

Pensando nessas mulheres que sonham em ter um parto normal, seguro e tranquilo e que não conseguem acesso ao EPI-NO, alguns lugares do Brasil (principalmente em São Paulo) disponibilizam o aparelho para locação ou para sessões em consultórios de fisioterapia, facilitando (e muito) a vida dessas gravidinhas. Caso se interessem, falem conosco!

= fsMulher =

Fotos por João Victor Bolan: http://www.behance.net/joaobolan

Para maiores informações sobre o produto: www.epi-no.com.br/

Mudanças de humor durante a gravidez tem solução?

“Esses dias eu chorei só de ver uma propaganda na tv!!!”, “Estou bem e do nada fico tão irritada com meu ‘namorido’, coitado!!” .. Essas expressões vocês já devem ter ouvido de amigas ou até mesmo enquanto vocês estiveram (ou estão) grávidas! Ou seja, as gestantes oscilam o humor com facilidade, entre o choro e a felicidade. O que é isso? Coisa de grávida?? Não tem solução??

Sim, é coisa da gravidez! E tem explicação biológica: durante a gravidez os níveis de hormônios femininos (estrógeno e progesterona) aumentam excessivamente deixando o organismo das futuras mães muito “confuso”. Assim como a TPM que é uma queda drástica dos mesmos hormônios e isso altera o humor das mulheres, o aumento súbito deles também traz suas consequências.

Porém, nas futuras mamães, além das alterações hormonais, existem também as preocupações: “Vou ser uma boa mãe?”, “Será que vai nascer bem?”, “Será que vou ficar com estrias?”, “Será que vou saber educar bem?” Inumeras são as preocupações que surgem, mas ao mesmo tempo é uma situação ambígua, pois gerar um ser no ventre é algo fantástico! Exemplo de que a natureza sabe o que faz.

Mas enfim, tanta oscilação cansa! Tem solução? Sim!

ATIVIDADE FÍSICA! Claro, especializado para grávidas!

Todas as gravidinhas que temos atendido até hoje relatam que ficam menos ansiosas, mais calmas, melhoram a autoestima e a auto-imagem, oscilam menos do choro para o sorriso (e vice-versa) e ficam mais preparadas emocionalmente para o dia da chegada do bebê!! Por quê?? O exercício físico leva a liberação de alguns hormônios, entre eles a endorfina. Este é capaz de aliviar as dores, colocando o organismo inteiro em um estado de relaxamento, além disso executa uma papel essêncial entre a vitalidade e a depressão.

Além da atividade física é importante preparar melhor o corpo para o momento tão esperado, o parto. Poder esclarecer dúvidas que surgem a cada trimestre e estar em ambiente que terá contato com outras gestantes pode ajudar muito. Poder compartilhar os medos e as novidades com acompanhamento de profissional especializado para esclarecê-los é a melhor solução.

Portanto, se você que está grávida ou conhece alguém que esteja, procure um fisioterapeuta especializado em obstetrícia e sinta-se mais segura com uma gestação maravilhosa e podendo desfrutar de cada momento que é único!!

Vale ressaltar que é essencial o consentimento médico para iniciar qualquer atividade física!

Beijos,

FSMulher