A verdadeira face da Drenagem Linfática

A imagem desta técnica de massagem é um pouco distorcida aos olhos de pessoas que vivem em função de emagrecer. Ela é rica, tem inúmeros benefícios, porém é, infelizmente, executada de forma errada, excluindo toda a essência e a propriedade das manobras. Hoje vamos falar um pouquinho dela, para tentar, por fim (ou não), esclarecer o que é a Drenagem Linfática Manual – DLM.

A DRENAGEM LINFÁTICA é uma das inúmeras funções do nosso organismo. Ela acontece de forma independente o tempo todo em nosso corpo. Diferente do que muitos pensam, ela não existe só para nos ajudar a emagrecer, seus objetivos fisiológicos vão muito além disso:

– Reabsorver proteínas plasmáticas que continuamente abandonam o leito capilar em direção ao interstício;

– Manter a composição estável do fluído intercelular;

– Contribuir significativamente para o sistema imunológico.

A técnica desenvolvida para o auxílio desta drenagem natural do corpo é uma forma especial de massagem destinada a melhorar as funções essenciais do sistema linfático por meio de manobras PRECISAS, LEVES, SUAVES, LENTAS e RÍTMICAS, que obedecem ao trajeto do sistema linfático superficial.

Ela diferencia-se de outros métodos de massagem, especialmente da massagem clássica, por não produzir vasodilatação arteriolar superficial (vermelhidão da pele) e por utilizar pressões manuais extremamente suaves e lentas, drenando apenas o líquido intersticial dos tecidos mais superficiais do corpo.  Dessa forma, os vasos linfáticos terão tempo para relaxar, encher-se e possibilitar uma melhor mobilização ao fluído que normalmente apresenta um fluxo lento. Mesmo assim, existem contraindicações para a realização da drenagem.

Sistema Linfático Humano

Devemos ficar atentar às pressões excessivas, pois são capazes de lesar os capilares linfáticos por esses serem muito frágeis. Jamais a Drenagem Linfática Manual vai produzir dor! As manobras fazem uma tração na pele, até o seu limite elástico, sem que haja deslizamento e fricção sobre a mesma, desta forma não é necessário o uso de cremes e óleos hidratantes.

Antes de ser apresentada oficialmente à população, ela foi experimentada em pacientes que apresentavam enfermidades crônicas das vias aéreas superiores (sinusites, faringites, rinites, amigdalites, etc.) ocasionando o aumento dos gânglios do pescoço. Depois de alguns experimentos e aperfeiçoamento da técnica, nasceu a Drenagem Linfática Manual (DLM), apresentada pela primeira vez em 1936 em um congresso sobre beleza em Paris, para um público composto por massoterapeutas e esteticistas.

A DLM foi e continua a ser aperfeiçoada, adquirindo hoje um lugar de destaque no tratamento de edemas e linfedemas, fazendo parte integrante da Terapia Descongestiva Linfática – TDL (método reconhecido pela Sociedade Internacional de Linfologia como o mais eficaz para o tratamento do linfedema) e da Linfoterapia, desenvolvida no Brasil contando com outros recursos terapêuticos.

Concluindo: A DLM é uma massagem que pode e deve ser utilizada tanto para fins estéticos quanto patológicos. Se a sua teoria e prática forem usadas harmoniosamente, seus efeitos serão surpreendentes.

Buscamos através deste texto, conscientizá-las de que o nome vendido por aí não condiz à técnica aplicada em diversos lugares, o que limita os resultados do tratamento, desvalorizando algo nobre que precisou de anos para ser elaborado! A Drenagem Linfática Manual é um TRATAMENTO e deve ser levado adiante com seriedade e competência.

Beijos

Fonte: TACANI, R.E. Tratamentos propostos por cirurgiões plásticos em pacientes submetidos à lipoaspiração; 2003.