Menopausa ou Climatério?

De acordo com a OMS o CLIMATÉRIO é a “fase da evolução biológica da mulher em que ocorre o processo de transição entre o período reprodutivo (menacme) e o não reprodutivo (senectude)” – Inicia-se em geral após os 40 anos. Dentro deste período ocorre a MENOPAUSA de origem grega significa “pausa da menstruação”, representada pela data da última menstruação, constituindo apenas um marco da transição menopausal. Essa transição ocorre em 3 etapas:

A perimenopausa é o período equivalente a estar na menopausa ou passando pela menopausa, idade média de 47 anos, tendo duração de alguns anos. Apenas 10% das mulheres cessam a menstruação rapidamente.

Diferentemente dos homens que ao longo da vida vão produzindo seus gametas (células dos seres vivos que, na reprodução sexuada, se fundem no momento da fecundação), as mulheres já nascem com um “estoque” (cerca de 1-2 milhões) dessas células, os ovócitos primários que se encontram dentro de estruturas denominadas folículos ovarianos, localizados nos ovários. A partir da adolescência, sob ação hormonal, esses folículos começam a crescer e a desenvolver. Os folículos em desenvolvimento secretam o hormônio estrógeno, e após a ovulação esse folículo torna-se corpo lúteo e passa também a produzir o hormônio progesterona.

Ao final da fase reprodutiva e início da perimenopausa, essa taxa altíssima de gametas sofre uma perda linear dos 35 aos 38 anos, após essa idade ela é progressiva. Isso ocorre devido à morte/atresia dos folículos, resultando na diminuição do tamanho dos ovários e queda dos níveis de estrogênio e progesterona, consequentemente aumentando os hormônios FSH (folículo-estimulante) e LH (luteinizante). Dessa forma, os ciclos menstruais se tornam cada vez mais irregulares, podendo ser mais curtos ou mais longos, com muito ou pouco fluxo. As ovulações são cada vez menos frequentes e, quando ocorrem são imperfeitas.

Se perguntarmos para uma mulher que está passando por este período quais são os sintomas do climatério, ela dirá seguramente sobre todos eles… Com direito a explicações e relatos de sensações. O mais comum e que talvez mais incomode as mulheres são os fogachos – as famosas ondas de calor – acredita-se que elas têm relação com a liberação pulsátil de LH, são sensações transitórias e repentinas sem nenhum padrão de frequência, e na maioria dos casos eles tem fim sem qualquer tipo de tratamento. Mas esta não é a única manifestação clínica de que indica que a perimenopausa, entre elas estão diminuição das mamas, atrofia vulvovaginal decorrendo em dores durante a relação sexual, diminuição da lubrificação, corrimento e coceiras vulvares. Pode ocorrer também incontinência urinária (principalmente a de esforço), prolapsos genitais, osteoporose, aparecimento de rugas e perda de massa muscular.

Além de todos esses fatores físicos, estão também atribuídos os fatores psicológicos, é difícil lidar com essas limitações impostas, a insegurança determinada pelos problemas físicos, acarreta problemas psíquicos. É possível observar crises de ansiedade, depressão, irritabilidade, insônia e diminuição da atenção e memória. Porém, uma mulher preparada, adaptada e bem informada não sofre perturbações existenciais no climatério.

A menopausa é um estágio natural da vida, não uma doença ou disfunção, e desta maneira não necessita automaticamente de nenhum tipo de tratamento. No entanto, quando os efeitos corporais são severos e prejudiciais, pode-se aliviá-los com tratamento medicamentoso, como a Terapia de Reposição Hormonal (TRH) ou os Moduladores Seletivos do Receptor de Estrógeno (MSREs ou SERMs). Existem também formas naturais e muito eficazes contra os sintomas, entre eles estão os fitohormônios e homeopatia associados a uma alimentação saudável rica em isoflavona, produtos orgânicos e integrais, frutas e chás de plantas. Vale ressaltar que a atividade física pode ser muito valiosa nessa fase, lembrando que ela diminui a ansiedade, promovendo benefícios nos componentes psicológicos e afetivos, além de reduzir as chances de doenças, manter a massa muscular e garantir segurança nas atividades de vida diária.

Assim sendo, devemos acreditar que a menopausa é mais um dos importantes estágios para o amadurecimento da mulher, um momento de auto-aprendizado e entendimento.

Beijos ♥